Apesar de pandemia, Arujá registra aumento de 15,2% na arrecadação no 1º quadrimestre de 2021

Arujá registrou aumento de 15,2% na arrecadação no 1º quadrimestre de 2021, apesar da pandemia da Covid-19, se comparado ao mesmo período do ano passado. De janeiro a abril, a receita total do município alcançou R$ 127.156. 792, 93 e as despesas caíram 7,2%.
As informações foram apresentadas pelo secretário de Finanças, Caio César Vieira de Araújo, durante Audiência Pública de prestação de contas realizada na Câmara Municipal no último dia 27.
Os resultados foram considerados “surpreendentes” pelo gestor da Pasta e são decorrentes, conforme esclareceu em resposta a questionamento do vereador Luiz Fernando Alves de Almeida (PSDB), de três fatores: a política de flexibilização de pagamento de tributos implementada pelo Banco Central; ao ajuste de alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) efetuada pelo governo estadual e à melhoria da eficiência das ferramentas de arrecadação no âmbito do Município.
Além disso, a Prefeitura manteve as despesas com pessoal sob controle com índice de 44,15% de gastos com recursos humanos. “A cidade está 10 pontos abaixo do recomendado e nossa meta é alcançar 37% como Mogi das Cruzes”, afirmou Caio.
As transferências correntes também apresentaram bom desempenho. A receita do Fundo de Participação do Município (FPM), relacionado aos tributos vindos da União, teve alta de 20% enquanto o ICMS subiu 23,4% - R$ 5 milhões a mais que em 2020. Recursos vindos dos governos federal e municipal compuseram 63,9% da receita no 1º quadrimestre.
Outro dado ressaltado foi a alta de 20,6% na emissão de notas fiscais, demonstrando aquecimento da economia local. No entanto, a queda de 18,3% neste quesito entre março e abril fez acender a luz amarela. “O cenário ainda é de incertezas. Enquanto não aumentar a velocidade de vacinação passaremos por momentos de altos e baixos. Não dá para comemorar”, admitiu.

Pandemia
Arujá investiu mais de R$ 12 milhões no enfrentamento à pandemia, mas recebeu próximo de R$ 3 milhões de “ajuda”. “Toda diferença veio do caixa municipal com participação efetiva do Poder Legislativo na destinação de recursos”, pontuou.
A Audiência foi conduzida pela presidente da Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária, Cristiane Araújo Pedro de Oliveira (PSD), a Profª Cris do Barreto. Com ela, compôs a mesa, além do secretário, o vereador Vinícius Henrique Alberto Bernardo (Rede), o Vinícius Pateta, vice-presidente da Comissão.
A atividade ainda contou com a participação dos vereadores Reynaldo Gregório Junior (PTB), o Reynaldinho, e Roberto Daniel Duarte (PODE), o Renan de Arujá, membros da Comissão de Fiscalização Financeira; Jean Mark Gonçalves Pereira (PDT), o Jean da Padaria; José Genilson da Silva (PT), o Genilson Moto; Divinei da Silva (PL), Rafael Santos Laranjeira (Rede); João Luiz Soares (PSD) e Samoel Maia de Oliveira (Republicanos), o Pastor Samoel Maia.
O vice-prefeito de Arujá, Gilberto Daniel Junior (PODE), o Betinho, também marcou presença.

COLUNISTAS

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

FOTOS

EAMA retoma atividades com a realização da prova do Circuito

2

"Nossa Arujá e Projeto Saudade" exibe fotos da cidade

8

Prime Beef inaugura loja em Arujá

7

Guia de Anunciantes