Elektro destrói mobilidade em calçadas do Centro, denunciam vereadores

A empresa concessionária de iluminação pública do município de Arujá, a Elektro, tornou-se alvo da ira de vereadores após a instalação de dezenas de postes ao longo da Rua Major Benjamin Franco, entre outras vias da cidade.
A obra obrigou a suspensão do fornecimento de energia elétrica na região, e sem nenhum aviso prévio, comerciantes ficaram às escuras por várias horas.
Em Tribuna, durante a Sessão da última segunda-feira (22), praticamente todos os parlamentares criticaram a empresa pelo desleixo na instalação, que praticamente obstruiu calçadas devido à espessura das colunas. A acessibilidade também teve prejuízos notáveis, já que em alguns pontos ficou impossível o trânsito de cadeirantes.

O que disseram os vereadores
“A Elektro tem feito um péssimo serviço em nossa cidade, tirando acessibilidade e causando prejuízos aos comerciantes. E o mais preocupante: vem mentindo descaradamente para pessoas que os procuram, como eu, dizendo várias coisas que não estão sendo cumpridas” – Reynaldo Gregório Junior (PTB), o Reynaldinho.
“Atualmente a Constituição Federal vem sendo desrespeitada. O desligamento da energia para as obras prejudicou ainda mais os comerciantes, que já enfrentam os impactos de uma pandemia, e que não foram informados previamente. Precisamos, também, cobrar a Administração: se estava ciente e o que fará a partir de agora” – Luiz Fernando Alves de Almeida (PSDB).
“Aqui ninguém é contra investimentos, geração de renda para o município, mas foi um descaso o jeito com que a obra foi executada. Não há espaço para o trânsito de cadeirantes, todos os entulhos ainda estão jogados, alguns restaurantes ficaram cheios de barro” – João Luiz Soares (PSD).
“Com relação à Elektro, há vários anos que o munícipe arujaense vive essa palhaçada. Chegaram a propor a interrupção de uma missa para terminarem o trabalho. Eu gostaria que alguém da Elektro explicasse como um munícipe cadeirante transitará pelas calçadas da cidade” – Divinei da Silva (PL).
“A Elektro traz inúmeros malefícios à cidade. No entanto, é preciso dizer que o atual prefeito está na cadeira há apenas 52 dias. E todas as empresas e contratos são referentes à antiga gestão. Cabe a nós, vereadores, cobrar, mas cobrar com parcimônia a atual gestão” – Cristiane Araújo de Oliveira (PSD), a Profª Cris do Barreto, líder do governo.
“Nós queremos que a Elektro se posicione. Não dá para acreditar que instalam um poste daquela largura na calçada da Matriz [Igreja]. A empresa precisa prestar contas à população, que é a maior prejudicada com esse descaso” – Samoel Maia (Republicanos), o Pastor Samoel Maia.
Vereadores solicitaram à vereadora Cris do Barreto (PSD), líder do governo na Câmara Municipal, o agendamento de uma reunião com o prefeito para discutir a situação da Elektro. Segundo a vereadora, a reunião deve ocorrer na próxima terça-feira (2/3), às 10h.

COLUNISTAS

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

FOTOS

2ª Etapa do Circuito Mirim de Corrida foi realizada

3

Secretaria de Desenvolvimento Econômico homenageou mulheres

3

Polo Arujá da Universidade Anhembi Morumbi torna-se modelo

2

Guia de Anunciantes