Vários bairros de Arujá são afetados por desabastecimento de água no final de semana

Prefeitura deve acionar a Sabesp judicialmente por problemas no fornecimento

Em plena pandemia do novo coronavírus, onde uma das recomendações do Ministério da Saúde é “lavar com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão”, muitos moradores de Arujá se viram impossibilitados de seguir tal diretriz, uma vez que ficaram sem abastecimento de água durante o final de semana. A redação do Jornal da Cidade recebeu inúmeras reclamações de moradores dos mais diversos bairros do município, como Parque Rodrigo Barreto, Mirante, Jardim Pinheiro, Jardim Real, Copaco, Vila Pilar, Vila Riman, dentre outros. O município é atendido pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).
A dona de casa Lina Maria, moradora do Pilar, foi uma das afetadas. Ela contou que notou que estava com a torneira seca já na sexta-feira (29). “Liguei para a Sabesp domingo (31), pois mesmo tendo um bom reservatório, sem cair água há dois dias ele seca né. A atendente pegou meus dados e logo passou para uma mensagem virtual, a qual disse que a minha região estava sendo afetada com baixa pressão. Oras, não avisam sobre isso para que possamos nos preparar e deixam todos sem água?”, reclamou a moradora.
Já Solange Oliveira, que reside na Rua Tuim, no Jardim Pinheiro, ela conta que notou a falta de água no sábado (30), à noite. “Tenho um filho especial e é complicada essa situação de não ter água”, disse.
Alguns moradores do Parque Rodrigo Barreto, como é o caso Edna Putini, ela conta que o desabastecimento tem sido constante.
Diante de tantas reclamações, a reportagem do Jornal da Cidade procurou a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo para esclarecimentos. A Sabesp qual informou que a “intermitência ocorrida no abastecimento de Arujá foi em decorrência das altas temperaturas e do consumo elevado registrado na cidade, que provocaram o esvaziamento do reservatório e a parada da estação elevatória que abastece a região”. Ainda segundo a Companhia, houve um aumento de 8,2% quando comparado janeiro de 2021 com janeiro do ano passado (2020).

Prefeitura deve acionar judicialmente 
A Prefeitura de Arujá deve acionar a Sabesp judicialmente pelos problemas no fornecimento de água. Segundo a nota enviada pela Assessoria de Imprensa, logo no primeiro horário do expediente desta segunda-feira (01), o prefeito de Arujá Luís Camargo, se reuniu com os secretários municipais de Assuntos Jurídicos, Marcos Regueiro, e de Obras, Planejamento e Serviços, Marco Valdanha, e passou orientações para a tomada de providências judiciais contra a Sabesp. "A empresa tem que melhorar a manutenção dos equipamentos, garantir o fornecimento e manter um telefone para receber as reclamações", expôs o prefeito.

COLUNISTAS

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

FOTOS

EAMA retoma atividades com a realização da prova do Circuito

2

"Nossa Arujá e Projeto Saudade" exibe fotos da cidade

8

Prime Beef inaugura loja em Arujá

7

Guia de Anunciantes