Estudo aponta qualidade ruim em cursos d’água em Arujá

Seis pontos foram avaliados na cidade, quatro foram avaliados como ruins

Um levantamento realizado pela SOS Mata Atlântica e divulgado durante o Fórum Mundial da água, analisou a qualidade da água em 102 municípios dos 17 Estados da Mata Atlântica. Em Arujá, seis pontos foram avalizados e tiveram o índice de Qualidade da água (IQA) ruim em quatro deles (Nascente Córrego Baquirivu, Córrego Caputera, Córrego Baquirivú, Rio Caputera). Isso significa que os pontos monitorados estão impróprios para o abastecimento humano, lazer e pesca.
No Alto Tietê, coletas foram feitas em 26 pontos e a conclusão do levantamento aponta a fragilidade da condição ambiental de rios, córregos e ribeirões. A metade dos corpos d'água avaliados não teve bons resultados.
O levantamento foi realizado entre março de 2017 e fevereiro de 2018. Os dados foram obtidos por meio de coletas e análises mensais de água realizadas por 3,5 mil voluntários do Programa “Observando os Rios”, com supervisão técnica da Fundação SOS Mata Atlântica. O estudo completo, com a lista dos rios avaliados, está disponível no endereço: http://bit.ly/2DmdBJH.

COLUNISTAS

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

FOTOS

Secretaria de Desenvolvimento Econômico homenageou mulheres

3

Polo Arujá da Universidade Anhembi Morumbi torna-se modelo

2

Igreja Adventista do Sétimo Dia de Arujá entrega templo

4

Guia de Anunciantes