Vice-prefeito é preso na 2ª fase da Soldi Sporchi; segundo a polícia, investigações apontam para desvio de verba da saúde

O vice-prefeito de Arujá, Márcio José de Oliveira (PRB), foi preso na segunda fase da operação Soldi Sporchi ocorrida na última quinta-feira (30). Conduzida pelo delegado Fernando José Goes Santiago, do 4º Distrito Policial de Guarulhos, a ação investiga um esquema milionário de lavagem de dinheiro e organização criminosa.  
Marcio foi preso em sua residência em um condomínio da cidade e, além dele, mais sete pessoas foram detidas. Ao todo foram expedidos 11 mandados de prisão temporária e 20 mandados de busca e apreensão, cumpridos nos municípios de Arujá, Santa Isabel, Guarulhos, Barueri, Indaiatuba, Itu, Mogi das Cruzes, Poá, Suzano, Bertioga e na capital. Uma das buscas e apreensão foi no gabinete do vice-prefeito.
Na primeira fase a operação, deflagrada em 3 de junho, 11 pessoas foram presas, incluindo o ex-secretário de Segurança Pública, Carlos Roberto Vissechi e o proprietário da empresa Center Leste, que tinha contratos com a Prefeitura de Arujá na limpeza pública e serviço de dengue.

Esquema milionário
Segundo o delegado, o mentor de todo esquema criminoso é Anderson Lacerda Pereira, vulgo Gordo. Ele foi preso em 2014 e seria um dos maiores narcotraficantes do País, ligado ao PCC (Primeiro Comando da Capital), suspeito de envolvimento com a máfia italiana, além de procurado pela Interpol. Para lavar o dinheiro do crime, Lacerda teria criado clínicas médicas e odontológicas, que também teriam como função prestar socorro a criminosos baleados em confrontos com a polícia. Além disso, passou a criar e gerir organizações sociais e empresas para a prestação de serviços, principalmente na saúde e limpeza urbana, para prefeituras, dentre elas Arujá. 
Segundo o delegado, as investigações apontaram um elo entre Márcio e Anderson. “Ele [Márcio] ocupa uma posição dentro da estrutura do município e foi identificado um elo entre ele o líder da organização criminosa. As investigações tentam esmiuçar qual seria o tamanho desse elo”, explicou o delegado, salientando que Marcio já foi advogado de Anderson. 
Vale destacar que, de acordo com a polícia, Anderson possui mais de 20 propriedades dentro do condomínio onde Márcio foi preso. O “patrimônio” de Lacerda seria de mais de R$ 130 milhões.
Perguntado se houve prejuízo aos cofres públicos de Arujá e qual o montante, doutor Fernando disse não ter um valor total, uma vez que os autos correm em segredo de justiça. Porém, falou sobre  os contratos serem celebrados por um valor mais alto e o excedente voltar para a organização criminosa. “Para poder lucrar com essa atividade eles acabam superfaturando os contratos e fazendo um esquema de rachadinha tanto com pessoa física com pessoa jurídica”, disse.
Ele destacou ainda que: “Uma vez celebrado os contratos de gestão, a organização criminosa pode celebrar outros contratos privados com essas organizações sociais, como por exemplo, uma padaria de fachada que fornecia alimentos e funcionava em uma cozinha clandestina, fornecimento de insumos dentre outros”.
Ainda segundo Fernando Santiago, a investigação está próxima de ser concluída. "A gente acredita que estará terminando esse inquérito policial dentro dos próximos dias. Aqueles que foram encontrados com elementos e informações suficientes, serão indiciados, serão colocados à disposição do judiciário”, disse.

Defesas
A reportagem tentou contato com a defesa do vice-prefeito Márcio de Oliveira, mas, não teve retorno. Já a Prefeitura de Arujá, por meio de nota disse que: “Diante de todos os desdobramentos da investigação, a Prefeitura lamenta os ocorridos, continua aguardando os desfechos da operação e se coloca inteiramente à disposição da justiça para colaborar no que for preciso”.
A atual Organização Social que administra o hospital e maternidade de Arujá, ITDM, também enviou nota dizendo que não é ré ou investigada na operação da Polícia Civil. Disse ainda que nenhum funcionário da instituição foi preso na referida operação e que está prestando esclarecimentos de forma espontânea, com o intuito de contribuir com as investigações e elucidar o que for necessário.


03/06

Policiais do 4º DP de Guarulhos dão inicio a operação Soldi Sporchi para cumprir 60 mandados de busca e apreensão e 22 mandados de prisão temporária contra suspeitos de envolvimento em esquema de lavagem de dinheiro e organização criminosa,  coordenados por Lacerda. Dentre os detidos estão o ex-secretário de Arujá e dono de empresa de lixo são presos

 


06/06

Polícia descobre cozinha clandestina que funcionava em condomínio; local seria utilizado por empresas de fachada que, além de prepararem marmitas que seriam fornecidas para o hospital, também era utilizado como almoxarifado.

 

COLUNISTAS

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

FOTOS

Arujá Melhor: coligação do PSD já conta com apoio

1

Acusado de chefiar quadrilha mantinha mini fazenda

7

Dia do padroeiro Bom Jesus é celebrado com missas

3

Guia de Anunciantes