Em casa, alunos da escola Esli continuam os estudos com o mesmo conteúdo da sala de aula de forma on-line

Desde quando teve início a pandemia, o mundo precisou se adaptar ao novo normal e tentar vencer os obstáculos impostos pelo coronavírus. Sem dúvida a educação foi um dos setores que teve de se reinventar para enfrentar os desafios da educação a distância, principalmente quando se trata de escola pública.
Mostrando que é possível fazer a diferença e oferecer um ensino público de qualidade quando se há vontade, professores da Escola Estadual Esli Garcia Diniz, em Arujá, estão conseguindo aplicar em casa de forma on-line, os mesmos conteúdos de sala de aula. 
De acordo com os coordenadores Glaucia Ferreira de Oliveira e Antônio Diniz Souza, desde quando teve início a pandemia, em marco deste ano, houve uma preocupação muito grande de todos os educadores da unidade, sobre como seria dada continuidade aos estudos dos mais de 1.700 alunos. 
Foi então que o professor de Matemática e Tecnologia da Informação, Jailson Maurício sugeriu utilizar um aplicativo do Google, o Classroom. Trata-se de um sistema de gerenciamento de conteúdo para escolas que procuram simplificar a criação, a distribuição e a avaliação de trabalhos. Ele é um recurso do Google Apps para a área de educação e foi lançado o para o público há mais de 5 anos.
Desde 2013, professor Jailson já vinha buscando inserir de forma mais incisiva a tecnologia aos alunos, mas, quando se trata de escolas públicas, tudo se torna um pouco mais difícil, porém, a pandemia veio para mostrar que tudo é possível quando se tem força de vontade. 
Enquanto muitas escolas patinavam sobre a forma de como continuariam a ministrar suas aulas, em abril, os educadores da escola Esli já estavam sendo capacitados a usar a nova ferramenta tecnológica, para então começar a utilizar com os alunos. 
Professor Jailson conta que foram montadas as salas de aulas virtuais correspondentes a cada série e turma. Ele explicou que alunos podem acessar as aulas ao vivo e acompanhar a explanação do professor podendo interagir a partir de chat e vídeos. Mas, suponhamos que naquele momento da aula ele não tenha acesso à internet, uma vez que há casos de alunos que utilizam o celular dos pais e só tem acesso à noite, o conteúdo da aula fica disponível para acessar na hora que puder.
Vale ressaltar que o Governo do Estado criou o CMSP — Centro de Mídias de SP, um programa criado pela Secretaria Estadual da Educação do Estado de São Paulo com o objetivo de levar conteúdos pedagógicos aos alunos por meio de plataformas digitais. Os estudantes da rede pública de ensino podem assistir às aulas de forma remota.
“Onde está o grande diferencial da escola Esli? O aplicativo do Estado ele dispõem um material de acordo com a série, mas, igual para todos os alunos, ou seja, o mesmo conteúdo para todos os estudantes, seja do Esli ou qualquer outra escola. E nós aqui, ao adotarmos a sugestão do professor Jailson, pudemos dar continuidade aos conteúdos que os alunos já estavam aprendendo em sala de aula”, explicou o coordenador Antonio.

Resultados
No dia 27 de abril, a escola Esli retomou as atividades com os alunos de forma on-line, já utilizando o Classroom. Nas primeiras semanas os professores já puderam colher os resultados positivos do sistema adotado. “Recebemos vários elogios de pais que nos relataram que os filhos estavam se interessando mais pelas aulas. Já outros nos contaram que estavam estudando com os filhos”, explicou a coordenadora Glaucia, salientando que o resultado positivo é graças ao trabalho em equipe de toda unidade.
Vale ressaltar que a iniciativa adota pela escola Esli também foi parabenizada pela Diretoria de Ensino.


Alunos devem procurar escola 
Segundo explicou a coordenadora Gláucia, para que todos os alunos pudessem ter acesso ao novo formato de aula, houve uma força tarefa de toda equipe escolar para entrar em contato com todos, porém, ainda há casos em que não foi possível falar com o estudante.
“Telefone que não existe, cadastro desatualizado. Infelizmente acabamos esbarrando nessas dificuldades e, por conta disso, ainda temos um número considerável de alunos que não estão assistindo as aulas”, explicou a coordenadora.
Vale ressaltar que a escola controla presença por meio das entregas de atividades pelos estudantes.
Alunos da escola Esli que ainda não estão assistindo as aulas on-line, devem procurar a secretaria da unidade para se informar sobre como acessar os conteúdos. Já os estudantes que não tem acesso a internet também precisam a unidade escolar, pois há disponível os roteiros de estudos impressos para entregar
Mais informações para auxílio na instalação e utilização do aplicativo, os pais ou alunos devem procurar a secretaria da escola de segunda a sexta, 20h às 15h. Já a retirada dos roteiros impressos, o atendimento é de segunda a quarta, das 10h às 15h.

COLUNISTAS

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

FOTOS

Arujá Melhor: coligação do PSD já conta com apoio

1

Acusado de chefiar quadrilha mantinha mini fazenda

7

Dia do padroeiro Bom Jesus é celebrado com missas

3

Guia de Anunciantes