Empresários cobrarão medidas do prefeito e pedem pela abertura parcial dos comércios

Fechados há mais de 30 dias por conta da pandemia do novo coronavírus, a grande maioria dos empresários de Arujá pede providência do prefeito municipal, José Luiz Monteiro, para que se tome uma providência para abertura de mais comércios na cidade. Neste sábado (18), um grupo de comerciantes deve se reunir para reformular propostas para a abertura parcial de lojas, acatando normas de higiene e não transmissão da Covid-19 para na próxima semana tentar uma nova conversa com o prefeito. Vale ressaltar que ontem (17), o governador do Estado de São Paulo, João Doria, prorrogou a quarentena até o próximo dia 10 de maio.
Entrada controlada de clientes; espaço mínimo entre as pessoas dentro da loja; controle de eventuais filas fora do estabelecimento; disponibilização de álcool gel; uso de máscaras pelos funcionários; redução de jornada dos colaboradores que não pertencem ao grupo de risco; afastamento imediato de seus auxiliares, se constatado qualquer sintoma, são algumas das medidas que serão reapresentadas ao prefeito.
Segundo um dos empresários que integra o grupo e representa também a Associação Comercial  Empresarial (ACE) de Arujá, Alípio Ferreira, a grande parte das medidas já foi apresentada ao prefeito, uma vez que já estiveram reunidos em outras três ocasiões.
“Há semanas estamos buscando alternativas para a abertura parcial do comércio. Entendemos que é um problema sério de saúde, porém entendemos também que Arujá não é igual a outras cidades, se colocarmos diretrizes a serem seguidas não teremos problemas. O que não dá é para ficarmos de braços cruzados e vendo os empresários fechando suas portas e gente sendo demitida”, salientou.

Casos em Arujá
Segundo a Vigilância Epidemiologica de Arujá, até ontem (17) a cidade contabilizou 166 casos notificados de coronavírus, entre os quais 32 foram confirmados, 43 descartados e 11 pacientes se  recuperaram da doença. Um óbito foi confirmado, sendo de uma paciente de 70 anos, que estava internada em um hospital particular de São Paulo desde o dia 13 de março e apresentava histórico de obesidade, diabetes e neoplasia maligna. A morte ocorreu em 01/04.
Vale ressaltar que, segundo a Assessoria de Imprensa da Prefeitura, até 9/4, dos casos de coronavírus em Arujá, nenhum utilizou o Sistema Único de Saúde da cidade para tratamento ou internação.

Estrutura
A Prefeitura de Arujá vai gastar R$ 2.494.345,41 para implementar um pacote de medidas emergenciais para enfrentar a pandemia de coronavírus (Covid-19) na cidade. Dentre as ações está a criação de uma central de triagem, a implantação de 10 leitos hospitalares intensivos no Pronto Atendimento (PA) Central e a ampliação do horário de funcionamento de 12 para 24 horas no Posto de Atendimento Médico (PAM) do Parque Rodrigo Barreto. Desse montante de quase dois milhões e meio, R$ 435.345,41 serão destinados a equipamentos, segundo informou a Assessoria de Imprensa.

COLUNISTAS

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

FOTOS

Túnel de desinfecção produzido em Arujá recebe laudo

1

Lions Clube doa 3 mil máscaras para população arujaense

1

Coronavírus é tema de interpretações de textos em Libras

0

Guia de Anunciantes