Decreto Municipal oficializa o Polo Industrial como Loteamento Fechado

Em evento ocorrido na manhã desta sexta-feira, 28 de fevereiro, nas dependências da Mayekawa do Brasil, reuniram-se autoridades e empresários para anunciar que, através do Decreto Municipal 7.316 de 27 janeiro de 2020, o Polo Industrial de Arujá, situado na Avenida Renova dos Santos, passa a ser um loteamento fechado. 
O Decreto estabelece: “fica concedido, por  30 anos, a permissão de uso de vias, praças e outros bens públicos do município para fins do fechamento do loteamento industrial”.
O espaço onde estão instaladas empresas diversificadas passa a ter acesso controlado de veículos e pessoas. O mesmo acontece com as vias internas que poderão conter portarias, portões, cancelas e seus similares para  fechamento e controle.
Neste ato estiveram presentes autoridades, entre elas o prefeito municipal, José Luiz Monteiro, o presidente da Câmara Municipal, vereador Gabriel dos Santos, empresários estabelecidos no local, o presidente da Associação do Polo Industrial de Arujá,  Robersom Rozzi, Nilson Martins representando a Mayekawa, secretários municipais, representantes da Camargo Advogados Associados, empresa que faz a assessoria jurídica do Polo Industrial, entre outros convidados.
O cerimonial do evento abriu a palavra para as personalidades presentes. O primeiro a ser chamado ao microfone foi o advogado Luis Camargo. Ele lembrou que desde 2006 vem atuando para que a meta de loteamento fechado fosse atingida. Neste sentido parabenizou a Administração Municipal que deu andamento ao trabalho iniciado nas administrações anteriores, tendo de fato seu início através de projeto de lei aprovado pelos vereadores e agora o decreto assinado pelo prefeito regulamentando o feito.
Robersom Rozzi agradeceu o empenho de todos para que a meta fosse atingida e destacou que a APIA passará a ser associada da Aconda (Associação dos Condomínios Horizontais de Arujá) para juntos desenvolverem ações em benefício de todos.
O secretário de Desenvolvimento Econômico, Luiz Fernando, ponderou: “É imprescindível que o Poder Público ande de mãos dadas com os empresários, seja ele de grande, médio ou pequeno porte, porque sabemos a importância do empresariado na geração de emprego e renda em nosso município”. Neste sentido defendeu o trabalho de desburocratização que vem sendo feito na Prefeitura de Arujá através da Secretaria que está sob sua responsabilidade neste momento. 
Já o secretário de Governo e Serviços, Leandro Larini, observou que é muito importante que os segmentos da sociedade, a exemplo dos loteamentos fechados, desenvolvam parceria com a Administração Municipal. Neste sentido destacou que em breve uma dessas parcerias estará sendo colocada em prática no Centro Industrial de Arujá (AECIA) para substituição das lâmpadas de iluminação pública pelas modernas lâmpadas de led. Assim ocorre também com a manutenção  de pavimento asfáltico e outras necessidades  em que a associação entra com o material e a Prefeitura com os serviços. Neste sentido colocou a Prefeitura à disposição do Polo Industrial.
O vice-prefeito, Marcio Oliveira, falou da alegria em poder comemorar o Decreto que é um advento da Lei complementar nº 12/2011, trazendo um marco regulatório para os loteamentos fechados de Arujá. “Este Decreto de Fechamento com certeza dará uma segurança jurídica e mais valorização ao loteamento”.
O prefeito José Luiz Monteiro lembrou que a ação vem de encontro a uma pergunta frequente que lhe fazem: “O que o senhor está fazendo para gerar emprego na cidade”?  Respondendo, ele observou que medidas como a edição do Decreto de Fechamento do Loteamento, além de acrescentar mais segurança para as empresas, seus proprietários e funcionários, traz ordenamento e valorização ao Polo Industrial, o que atrai outros investidores, e, por consequência os respectivos empregos que eles podem gerar no município.
Já o presidente da Câmara, Gabriel dos Santos, observou que ele foi o criador do ante-projeto de Lei que deu origem ao projeto e ao Decreto ora colocado em execução. Destacou a importância do Poder Legislativo para que fatos como estes possam acontecer. “A Câmara foi fundamental neste trâmite. Foi a Câmara que aprovou a Lei e ela precisa ter seu reconhecimento”.
Gabriel parabenizou o presidente da Associação, Robersom e o Senhor Shogoro Ykuno, pessoas que lutaram para que o Polo Industrial chegasse a ser um loteamento fechado. 
Após o encerramento do ato a palavra foi dada à secretária de Meio Ambiente, Ionara Fernandes, que exibiu no telão o Projeto “Parque dos Ipês” que está bem próximo do Polo Industrial. Um Projeto fantástico que colocará em breve Arujá entre os municípios de procura por turistas que prestigiam o meio ambiente, a cultura e o lazer. 
Uma parte do Projeto já está concretizado, incluindo o prédio da sede administrativa, a qual abriga também a Secretaria de Meio Ambiente, havendo ainda muitos detalhes do Parque que necessitam de apoio empresarial para serem concluídos e colocar Arujá em destaque na região no segmento cultural, esportivo e turístico.  

 

COLUNISTAS

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

FOTOS

Ana Poli é a candidata à prefeita pela coligação Somos Todos

5

Republicanos confirma doutora Branca candidata a prefeita

2

PROS oficializa a candidatura de Júlio do Kaikan

1

Guia de Anunciantes