Reunião com a CEF para primeira etapa da obra do hospital será na próxima semana; R$ 35 milhões já foram empenhados

Deputado Roberto de Lucena em conjunto com a Prefeitura fizeram todos os trâmites para assegurar recurso junto ao Ministério da Saúde

Na próxima semana, uma equipe técnica da Prefeitura de Arujá deverá se reunir com representantes da Caixa Econômica Federal (CEF) para tratar do cronograma da primeira fase que compreende a construção do hospital público de Arujá. A informação foi passada pela Assessoria de Imprensa.
No final de dezembro, por intermédio do deputado federal Roberto de Lucena (PODE-SP), o prefeito José Luiz Monteiro (MDB) assinou o convênio com a Caixa, no qual assegurou junto ao Ministério da Saúde, o recurso de R$ 35 milhões para a obra.
Com 80 leitos, pediatria, centro cirúrgico, pronto socorro, consultórios clínicos e maternidade, seis andares, subsolo e heliponto distribuídos em mais de 10 mil metros quadrados de construção, o Hospital ficará em uma área da Prefeitura, localizada na esquina da Avenida Renova dos Santos com a Rua Major Benjamin Franco, a 600 metros da Rodovia Presidente Dutra.
“É um sonho que estamos tirando do papel e que deve ser concretizado em 2022. Três anos parece muito, mas, para quem já espera há décadas”, disse Roberto de Lucena.
O recurso será liberado pela CEF em parcelas. Neste primeiro momento, no qual a Prefeitura tem 90 dias para atender, serão repassados R$ 7 milhões. A gestão arujaense precisa elaborar um projeto executivo para, posteriormente, fazer a licitação da empreiteira que irá executar a construção.
“Eu considero que lutar pelo bem comum seja minha obrigação. O hospital não vai resolver todos os problemas da saúde em Arujá, uma vez que a saúde é uma equação complexa. O hospital é fundamental para nós diminuirmos esses problema. É uma alegria muito grande quando a gente trabalha e vê o resultado, principalmente quando vai beneficiar o coletivo, por gerações”, salientou Lucena, lembrando que irá atender não apenas a demanda da cidade, como toda a população do Alto Tietê, que possui déficit de leitos.
No dia da assinatura do contrato com a CEF, em 27 de dezembro, José Luiz agradeceu o empenho de todos pela conquista. “Isso que está acontecendo hoje mostra o que é responsabilidade com a história de Arujá; uma responsabilidade que assumimos e encaramos. Fizemos o projeto e encaminhamos ao deputado, que levou ao Ministério. Temos de agradecer quem veio trabalhar na Prefeitura aos sábados e domingos para desenvolver os projetos de maneira rápida, como fez, várias vezes, a nossa equipe técnica. Estas pessoas, sim, podem bater a mão no peito e dizer que contribuíram para Arujá ter seu hospital”, afirmou o prefeito.

Mais de três anos de trabalho
Os trabalhos de Roberto de Lucena e toda equipe da Prefeitura para conseguir o recurso para a construção do hospital começaram em 2016.
De acordo com o deputado, a luta iniciou há mais de três anos. “Meu filho Renan foi quem me trouxe essa demanda e acompanhou de perto todo o processo. Sonhamos junto com o nosso povo de Arujá, que precisa tanto de um hospital público, e por tantas vezes ouviu apenas promessas. Pegamos o projeto do marco zero em 2016. Não havia, até então, nenhuma proposta anterior do município. Vencemos muitas etapas. Tivemos que percorrer, novamente, o mesmo caminho em 2017, em 2018, sendo que no ano passado, sob o novo Governo Federal, foi que conseguimos garantir que se abrisse o sistema para que a Prefeitura cadastrasse a proposta e acompanhamos todas as análises técnicas. A Administração Municipal atendeu as diligências feitas pelo Ministério, e o esforço valeu a pena. Agora conto muito com toda a Câmara Municipal e as demais forças vivas da sociedade arujaense, para acompanhar e fiscalizar o desenvolvimento da obra. A bola agora está nos pés de Arujá”, concluiu o parlamentar.

COLUNISTAS

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

FOTOS

Sanitização de ambientes, uma arma contra o coronavírus

2

Túnel de desinfecção produzido em Arujá recebe laudo

1

Lions Clube doa 3 mil máscaras para população arujaense

1

Guia de Anunciantes