02/11/2019

Assistência Social de Arujá se destaca na região

O município de Arujá vem se destacado na Região do Alto Tietê em diversos setores, um deles é o trabalho desenvolvido pela Secretaria de Assistência Social, comandada por Maria Luzia Bortone Salles Couto. A Secretaria administra diversos programas em atendimento às famílias que vivem em situação de vulnerabilidade. 
No total são 9.425 famílias referenciadas e atendidas nos programas desenvolvidos e bancados com verbas do município, além de projetos do Governo do Estado e do Governo Federal. 
Maria Luzia revela que a maior conquista de Arujá no atendimento social foi o Projeto de Lei que destina 2% do orçamento do município para programas deste setor, sendo Arujá um dos únicos municípios a colocar em prática um projeto neste sentido.
Além dos recursos municipais destinados para atendimento social, o trabalho é reforçado por projetos subsidiados pelo Governo do Estado e pelo Governo Federal: Renda Cidadã  (Estado) que beneficia 167 famílias de Arujá e o Bolsa Família (Governo Federal), que atende no município 4.182 famílias.
É indiscutível que a crise financeira que assola o País há mais de cinco anos, desempregando milhões de pessoas, atinge diretamente os municípios, colocando mais e mais famílias em situação de vulnerabilidade todos os dias.  Segundo Maria Luzia, somente de janeiro a setembro de 2019, mais de 1.200 pessoas procuraram, pela primeira vez, a assistência social em busca de apoio para suprir suas necessidades básicas. 

O atendimento inicia-se na Secretaria Municipal 
Observando os números fica claro que Arujá vem desenvolvendo um trabalho gigantesco, o qual tem início quando as pessoas chegam na Secretaria e passam pela triagem para que possam ter seu número de inscrição social. Esta inscrição coloca a pessoa em condição de participar dos programas disponibilizados pela Secretaria Municipal e também dos programas do Estado e do Governo Federal. Portanto, sem o cadastro feito pela Assistência Social do município, o cidadão(ã) não consegue acessar nenhum dos projetos que o possam ajudar.
Entre os diversos programas disponibilizados pelo município estão  programas de atendimento de fundo alimentar, programas que envolvem recursos financeiros, a exemplo do Renda Mínima que atende 703 famílias. Lembrando que este Projeto recebeu um impulso da gestão José Luiz Monteiro (com apoio da Câmara Municipal), passando de R$ 100,00 por filho, para R$ 150,00 por criança, ou seja, um aumento de 50% em seu valor.
Outro projeto que envolve recursos financeiros do município  é a Frente de Trabalho. Este projeto, além da bolsa oferecida aos 200 participantes de R$ 700,00 (era R$ 550,00, com projeto aprovado pela Câmara  foi elevado), além propiciar cursos profissionalizantes para que os participantes possam voltar ao mercado de trabalho. 
Existe ainda o projeto Jovem Aprendiz que endereça recursos a 42  jovens arujaenses em situação de vulnerabilidade, existindo a possibilidade de aumentar este número para 50. Estes jovens também são inseridos em cursos profissionalizantes. 
Maria Luzia ponderou que a Secretaria atua com firmeza para que todos os atendidos em projetos municipais, do Estado ou do Governo Federal participem de cursos profissionalizantes para que resgatem a possibilidade de voltar ao mercado de trabalho e se sintam revitalizados. 

Estrutura para atender quase 9.500 famílias  
Para atendimento das quase 9.500 famílias, nos mais variados programas, o município mantém três unidades de CRAS: Centro, Barreto e Cerejeiras. Este último fica nas proximidades dos prédios do CDHU, atendendo todas as 391 famílias ali instaladas, além das famílias residentes nos seis bairros arujaenses na região do Jardim Emília. 
O município destina ainda recursos e funcionários para manter em atividade o Centro Dia do Idoso (Barreto); o Centro de Convivência do Idoso (Chácara São José), os Centros de Convivência da Criança e do Adolescente: Mirante; Rodrigo Barreto e Centro.
Desenvolve ações junto aos Centros de Acolhimento e ao CEAS – Centro de Apoio as Ações Sociais.
Atua em atendimento às pessoas que necessitam de programas do Governo Federal, a exemplo de pesquisas e  encaminhamentos em busca de aposentadorias, auxílio-doença, auxílio-desemprego, entre outros atendimentos que visam dar respaldo às pessoas que necessitam de acolhimento, atenção e carinho. 
Participando da coletiva com a imprensa do município, juntamente com a secretária Maria Luzia, o prefeito José Luiz Monteiro posicionou que, buscando solução para conclusão da obra do prédio para sediar o INSS em Arujá, vai investir cerca de R$ 900 mil e colocar o prédio em condições de atendimento  da população para evitar o desgastante trabalho da Secretaria de Assistência e também o desgaste dos munícipes que precisam se deslocar para outro município em busca de resolução para suas necessidades junto ao órgão federal. Frisou que posteriormente vai resgatar junto ao Governo Federal os valores investidos. “O que não podemos é deixar a obra paralisada e se deteriorando e as pessoas tendo que se dirigir a outros municípios em busca de seus direitos”, observou José Luiz.     

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.


FOTOS


Guia de Anunciantes