22/07/2019

Obras do trecho Norte do Rodoanel não têm prazo para serem retomadas

Em reunião na Prefeitura, presidente da Dersa falou sobre a situação da obra

 

As obras do trecho Norte do Rodoanel Mario Covas em Arujá, interrompidas desde que o governo do Estado encerrou os contratos com os consórcios responsáveis, não têm prazo de retomada. Em reunião com o prefeito José Luiz Monteiro e vereadores Ana Poli e Luiz Fernando Alves de Almeida, na Prefeitura, na última quarta-feira (17), o diretor-presidente da Dersa, Milton Persoli, esclareceu o que falta para a conclusão do projeto viário, o porquê da paralisação e como ficam questões que afetam especificamente o município, como as compensações ambientais, por exemplo.
"Temos uma ansiedade grande para que o Rodoanel acabe o mais rápido possível e o que for preciso, de apoio da Prefeitura, nos disponibilizamos a fazer. O projeto está equacionado com as nossas necessidades, mas temos de dar uma resposta à população que viu as obras pararem e esperam por respostas", argumentou o prefeito.
Sem determinar prazo para a volta dos trabalhos, Persoli explicou que o trecho que impacta em Arujá (parte do lote 6) tem 72% de avanço físico, 57% de avanço financeiro e demanda ao menos mais 15 meses de obra para ser finalizado. Como a extinção do contrato com as empreiteiras e consórcios OAS, Mendes Júnior, Acciona e Construcap deu-se por irregularidades apontadas pela Procuradoria Geral do Estado (PGE), a saída para o impasse sobre todo o trecho norte engloba quatro cenários possíveis que são avaliados simultaneamente à conciliação jurídica tratada via Câmara de Arbitragem.
"Seguir com a obra seria ir junto com ela nas irregularidades encontradas, ainda que a gente saiba da necessidade de um projeto do porte do Rodoanel. E o que vai ser tratado na Câmara de Arbitragem, que é muito mais rápida do que o sistema de justiça tradicional, independe da retomada dos trabalhos", afirmou o presidente do órgão estadual. "O que queremos é fechar a obra, verificar a qualidade do que está feito, garantir a segurança futura do projeto e reequilibrar valores. Para que seja entregue à população, não podemos ter questionamento, nem ser frágeis na decisão que será tomada e anunciada, aos municípios afetados, pelo governador (João Doria)", concluiu.
Segundo ele, as quatro alternativas estudadas são relicitar o trecho norte inteiro, incluí-lo no contrato de concessão atual, cancelar a concessão e fazer nova licitação com a obra junto ou incluir a obra nos contratos da concessionária que administrará os lotes 4, 5 e 6 e licitar os lotes 1, 2 e 3.
Participaram do encontro o vice-prefeito Márcio Oliveira, os secretários de Obras, Ciro Dói, e de Planejamento, Juvenal Penteado, os gerentes da Divisão de Obras e de Meio Ambiente da Dersa, Gabriel Gutierrez e Marcelo Arreguy, o presidente do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comdema), Oswaldo Coutinho Junior, a diretora de Departamento e a assessora técnica da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Vanderlúcia Oliveira e Bruna Cordeiro dos Santos e o engenheiro da Secretaria de Obras, Valdir Soncini.

Reivindicações
Na reunião, solicitada por intermédio da Comissão de Obras, Serviços Públicos, Planejamento e Meio Ambiente da Câmara, presidida pela vereadora Ana Poli, a Prefeitura reivindicou também o remanejamento da pista da Avenida Mário Covas sob o Rodoanel. Isso será necessário porque após a instalação dos tubulões, a calçada para pedestres ficou menor, o que deve ser corrigido com o alargamento do passeio público e, consequentemente, com intervenções nas faixas de rolagem e no calçamento do lado oposto da via. Os trabalhos no local foram embargados pela Secretaria de Obras antes mesmo da extinção do contrato pelo Estado. A Dersa comprometeu-se a fazer as correções.
Outro pedido foi para que encontre-se uma forma de resolver o problema de aproximadamente 20 proprietários de imóveis da Rua Francisco Beltrão (Jujiro Nakayama), no Jardim Yamamoto - eles ficarão sem acesso aos fundos de seus terrenos.
"O Rodoanel cortou as propriedades no meio e uma parte acabou ficando inacessível. O que pedimos e agora trataremos com a Dersa é uma solução que não prejudique ainda mais estas famílias", explicou o secretário de Obras, Ciro Dói.
Sobre os questionamentos a respeito da compensação ambiental do trecho norte,  Persoli tranquilizou e garantiu a manutenção dos compromissos firmados, entre os quais o plantio de 550 mil mudas de espécies nativas em uma área da Prefeitura localizada no município de Santa Isabel.

Trecho norte
Com 44 quilômetros de extensão no eixo principal, o trecho norte do Rodoanel Mário Covas passa pelos municípios de São Paulo, Arujá e Guarulhos. Em sua totalidade, terá sete túneis e 107 obras de arte especiais (44 pontes e 63 viadutos). O investimento é de mais de R$ 6 bilhões.

Acciona
Em nota encaminhada à assessoria de Imprensa da Prefeitura de Arujá, a Acciona afirmou sobre as informações fornecidas pelos diretores da Dersa:
"Não houve irregularidade nos lotes que executou no Rodoanel Norte e que a decisão de rescisão contratual foi tomada unilateralmente pela Dersa. A companhia está sempre aberta a esclarecimentos e sua atuação é pautada pelos mais altos padrões de qualidade técnica e em estrita observância às leis e ao seu Código de Ética".

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.


FOTOS


Guia de Anunciantes