25/06/2019

Vereadores cobram melhorias nas escolas; prefeito manda projeto para investimentos

Os vereadores Rogério Gonçalves Pereira (PSD), o Rogério da Padaria, e Luiz Fernando Alves de Almeida (PSDB) reuniram-se com a promotora Gabriella Lanza Passos no Fórum de Arujá, no dia 14 de junho. Nesta ocasião os parlamentares questionaram quais ações o Ministério Público (MP) tem adotado no inquérito civil que apura o estado precário das unidades de ensino do município.
A investigação teve início após os mesmos vereadores, que são membros da Comissão de Educação, Saúde e Assistência Social da Câmara, visitarem todas as escolas e creches da rede e protocolarem, em outubro de 2018, um relatório detalhado dos problemas identificados nas vistorias.
A promotora iniciou justificando um “possível prejuízo” ao inquérito, uma vez que o município ficou quase um ano sem promotor titular. Gabriella Passos assumiu o posto em março. “Ainda estou me inteirando da realidade do município”, explicou. Ainda de acordo com a promotora, nesse meio tempo o MP encaminhou questionamentos ao Executivo, alguns respondidos de forma detalhada, “outros de forma mais genérica”, no entanto, destacou que “não pode partir do pressuposto de que o prefeito está agindo de má fé”.
Ainda de acordo com a promotora, nos casos mais graves, o Executivo atestou a segurança infraestrutural de prédios da Educação após avaliação de engenheiros, que teriam responsabilidade nas esferas civil e criminal por qualquer erro nas informações.
Os vereadores solicitaram vistas com extração de cópias da íntegra do inquérito civil. O objetivo, agora, é analisar minuciosamente todas as diligências do MP e fiscalizar de perto as próximas etapas da investigação. No diagnóstico dos parlamentares, contudo, a situação, de modo geral, não melhorou. “Observamos, inclusive, uma piora”, avaliou Luiz Fernando. Rogério da Padaria ressaltou uma negligência do Executivo no atendimento às demandas da Educação.
 
Prefeito mandou projeto para investimentos 
Sobre este tema, em coletiva à imprensa, no dia 30 de maio, o prefeito José Luiz Monteiro fez um “balanço” da sua gestão. Nesta ocasião anunciou R$ 7 milhões para investimentos no município. Desatacou que o setor de Educação receberia a maior parte desses recursos, sendo R$ 2 milhões para a construção da escola do Jordanópolis, com capacidade para 600 alunos; R$ 1,5 milhão para manutenção das unidades educacionais municipais, uma das principais demandas da área, e R$ 500 mil para o início das obras de creche para 200 crianças, no Parque Rodrigo Barreto.
O restante, segundo ele, será investido em recapeamento asfáltico (R$ 1,5 milhão);  implantação da Muralha Eletrônica, sistema de monitoramento inteligente de entradas e saídas e pontos estratégicos do município (R$ 450 mil); fechamento do Parque Ecológico do Jardim Fazenda Rincão (R$ 500 mil); e criação do Serviço de Atendimento Integrado ao Cidadão, semelhante ao Poupatempo que funcionará em prédio localizado no atual Departamento Financeiro (R$ 500 mil). Para usar estes recursos, o prefeito enviou projeto que está tramitando na Câmara Municipal.

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.


FOTOS


Guia de Anunciantes