29/05/2019

Áreas de risco: Prefeito recebe técnicos do IPT

O prefeito José Luiz Monteiro e a equipe da Secretaria Municipal de Habitação e Regularização Fundiária receberam técnicos do Programa de Apoio Tecnológico aos Municípios (Patem) do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) nesta terça-feira (28/05). A visita faz parte de um trabalho que comemora os 30 anos do programa e aborda trabalhos de excelência executados pelo órgão em dez cidades do Estado.

O IPT elaborou em 2011 o relatório das áreas de risco de Arujá e foi determinante para o município erradicá-las. O documento serviu de base para a Prefeitura buscar um entendimento com a Secretaria de Estado da Habitação e conseguir destinar 100% das moradias construídas pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), na região do Jardim Leika, para famílias destas áreas de risco.

“A remoção da área de risco é um destaque. Estamos aqui para entender melhor qual foi o impacto disso para a cidade e para as pessoas que foram beneficiadas por este trabalho conjunto”, afirmou a coordenadora da Plataforma IPT Pró Municípios, Tatiana Mestres. Dois estudantes de Políticas Públicas da Universidade de São Paulo e o gerente de Parcerias Públicas do IPT, Alex Vallone, a acompanharam.

O secretário de Habitação, José Orlando da Silva, o adjunto José Roberto Baptista, a servidora da Pasta, Márcia de Brito, além de José Maurício Gomes da Silva e Larissa Maria Gomes da Silva, que viviam em áreas de risco e vivem na CDHU, participaram da reunião.

“Sou pedreiro. Reformei tantas casas e me perguntava quando ia conseguir cuidar da minha. Hoje moramos em um lugar bom e isso é muito gratificante”, afirmou José Maurício.

 

Política pública

O prefeito José Luiz Monteiro destacou a importância de trabalhos como este e lembrou que a luta por moradia e questões como especulação imobiliária são problemas de todos os municípios brasileiros.

“Para vocês verem a importância da intersecção entre os serviços públicos. Esse trabalho deu resultado por ser técnico e contar com profissionais que se especializaram para isso, fazendo os resultados aparecerem por meio desse respeito mútuo”, afirmou.

O secretário José Orlando da Silva ressaltou que, assim como os técnicos do IPT, a equipe da Pasta foi determinante para erradicar as áreas de risco da cidade. “Foi um trabalho com 391 famílias, mais de 1,5 mil pessoas. Só com muita dedicação isso foi possível”, afirmou.

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.


FOTOS


Guia de Anunciantes