01/04/2019

Conferência debate direitos dos idosos e elege delegadas para etapa estadual

Manutenção, melhoria e ampliação de direitos foram a base de debates, palestra e pronunciamento das autoridades na 2ª Conferência Municipal do Idoso, promovida dia 28 de março, pelo Conselho Municipal do Idoso e a Secretaria de Assistência Social, na Câmara de vereadores. Os presentes também elegeram Regina Grubba e Lúcia Ribeiro como as delegadas que representarão o município na etapa estadual da Conferência, de 5 a 7 de agosto.
A reforma da Previdência, assunto mais discutido na política brasileira atualmente, foi o tema da fala do prefeito José Luiz Monteiro. Para ele, é necessário que a população engaje-se para evitar a retirada de direito dos idosos.
“Muitos aqui já são idosos, eu estou chegando aos 65 e tantos outros ainda jovens serão idosos no futuro. Não se faz bolo sem juntar farinha, ovo, fermento, margarina e ovos, mas estão querendo nos tirar a farinha. Amanhã será o ovo, depois o fermento e assim até que nada reste”, disse o prefeito.
Assistente social e presidente da ONG Observatório da Longevidade Humana e Envelhecimento (Olhe), Marília Berzins foi a palestrante responsável por abordar os quatro eixos temáticos e tema principal da Conferência de 2019: “Desafios de envelhecer no século XXI e o papel das políticas públicas”.
Além de destacar a necessidade do atendimento de cuidadores de idosos na rede pública, de ampliação dos Centros Dias do Idoso nos municípios, da interação entre Saúde e Assistência Social na execução das políticas públicas e da importância de lares de acolhimento serem espaços em que as pessoas vivam bem e de forma prazerosa, ela ressaltou que a alteração do Benefício de Prestação Continuada (BPC) presente na proposta de reforma da Previdência é prejudicial.
“Quem paga o BPC (a que têm direito idosos a partir dos 65 anos e deficientes sem condições de sustento) é o Fundo Nacional de Assistência Social e não a Previdência. São 8% da população idosa brasileira, mais de 1, 9 milhão de pessoas que vivem com essa renda. Oferecer um quarto de salário mínimo na faixa de 60 a 69 anos significa retirar direitos”, afirmou.
Durante a palestra, ressaltou ainda a importância do envelhecimento ativo e propôs diversas reflexões. “Uma em cada nove pessoas do mundo tem 60 anos ou mais. Envelhecer será transformado em problema social? Que desafios são estes que o tema da Conferência traz?”, disse.

Autoridades
Diversas autoridades compareceram à Conferência: o presidente da Câmara, Reynaldinho; os vereadores Ana Poli, Abelzinho, Paulinho Maiolino, Paraíba Car, Rafael Laranjeira e Rogério da Padaria; a secretária de Assistência Social, Maria Luzia Bortone Salles Couto, e as adjuntas Marina Bernardo e Lúcia Ribeiro; a presidente do Conselho do Idoso, Regina Grubba, além de ex-vereadores, outros conselheiros municipais e população.
“Agradeço à minha equipe e ao Conselho Municipal pelo empenho de sempre e ressalto esse momento que estamos vivendo agora, que é de discutir, traçar e garantir as conquistas para nossa população idosa”, afirmou a secretária de Assistência Social.
A vereadora Ana Poli lembrou que Arujá foi o primeiro município da região a receber o Selo Cidade Amiga do Idoso. “Temos que manter este trabalho”, afirmou. “Esta Casa sempre estará aberta aos nossos idosos”, disse Reynaldinho.

Coral
Comandados pelo maestro Aerlisson Cardoso, o coral de idosos e a banda do Centro de Convivência da Criança e do Adolescente do Centro apresentaram duas canções: Andando em Frente, de Almir Sater e Renato Teixeira, e Se Você Pensa, de Roberto Carlos.

Nacional
A Conferência Nacional será em 15 de novembro, em Brasília.

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.


FOTOS


Guia de Anunciantes