25/02/2019

Vereadores reforçam cobranças ao Poder Executivo

Os vereadores utilizaram a Tribuna da Casa de Leis na Sessão Ordinária da última quarta-feira (20) para reforçar cobranças ao Poder Executivo. Problemas recorrentes nos bairros, como falta de iluminação e de manutenção das ruas, suscitaram mais críticas à atuação do governo José Luiz Monteiro (MDB) e parte de sua equipe.
O parlamentar Edimar do Rosário (PRB), o Pastor Edimar de Jesus, relatou o drama vivido pelos moradores do bairro Pedra Fala. “Às vezes a gente ri aqui da maneira como o vereador fala, mas é sério: o Poder Executivo precisa tomar providências enérgicas porque a população está sofrendo. Recebi reclamações dos moradores, apresentei as imagens aqui e a situação continua a mesma. A gente fiscaliza, faz pedido, mas quem tem de executar é a Prefeitura”, pontuou reforçando observação feita pelo vereador Paulo Henrique Maiolino (PSB), o Paulinho Maiolino, referente à falta de iluminação das ruas do mesmo bairro.
Ana Cristina Poli (PR) também desabafou: “A impressão que tenho é de ficar o dia todo enxugando gelo”. “Nunca tive tanta dificuldade de trazer resultados para a população. A gente pede e aí dizem que vão fazer, mas é um faz-de-conta. Será que eu não sei que vou precisar de material? Será que não sei que a escola precisa ser reformada? Ou seja, falta gestão e não é de hoje. É dever do município oferecer serviço público de qualidade”, reivindicou.
Marcelo José de Oliveira (PRB), o Dr. Marcelo Oliveira, apelou à intervenção divina: “Vou orar para que meus pedidos sejam atendidos”. Ele leu um documento formulado por um morador do Parque Maringá, no qual ele relata a falta de infraestrutura do bairro. “Não há arruamento, iluminação pública, nem água encanada. Falta ainda atuação do trânsito e vigilância”, elencou.
Visivelmente desanimado, o vereador relatou mais um problema da cidade – a falta de iluminação da Mário Covas. “Caminho diariamente ali e como terminou o horário de Verão, está tudo escuro, pois no trajeto há uma lâmpada acesa e duas apagadas. Andar ali está perigoso”.
Das 40 indicações apresentadas em Plenário, 33 referiam-se a pedido de manutenção, limpeza e iluminação.
Também foram apresentados 40 Requerimentos com pedidos de informações diversos ao Poder Executivo. Entre eles, o do vereador Gabriel dos Santos (PSD) que solicita estudos para instalação de uma piscina na Praça da Juventude (nº 1833/2019), além da disponibilização de aulas de zumba e pilates (nº 1832/2019).
Cristiane Araújo Pedro (PSD), a Profª Cris do Barreto, decidiu questionar a Prefeitura sobre a aplicabilidade da Lei Municipal nº 3039/18 de sua autoria que obriga as agências bancárias a instalar caixas para atendimento rápido (nº 1827/19).
Ana Poli solicitou, entre outros dados, o registro mensal de atendimento às mulheres vítimas de violência no período de 2017 a 2019 (nº 1825/19) e a possiblidade de suspensão das notificações enviadas a moradores da cidade por conta da falta de execução de calçadas (nº 1826/19).
Já o ex-presidente da Casa, Abel Franco Larini (PR), o Abelzinho, decidiu cobrar do Executivo, por meio do Requerimento nº 1821/19, informações referentes às emendas parlamentares destinadas a Arujá pelo deputado estadual André do Prado (PR).

Ministério Público
Foi rejeitado por 11 votos o Requerimento nº 1846/2019, elaborado por Sebastião Vieira de Lira (PSDC), o Paraíba Car, que convocava o Ministério Público a prestar esclarecimentos ao Legislativo sobre as providências tomadas em relação à situação precária das escolas de Arujá. A decisão do Plenário baseou-se no fato de que a propositura não é adequada para este fim, podendo o convite ser feito por meio de ofício. A situação gerou intenso debate entre os vereadores.

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.


FOTOS


Guia de Anunciantes