20/10/2018

Inovação deixa gerência de PAs e Maternidade para assumir o Instituto IDGT

Protagonista de diversos episódios de ingerência na saúde municipal de Arujá, o Instituto Inovação em Gestão Pública foi oficialmente substituído ontem (19), por uma nova Organização Social (OS). Com contrato válido por 12 meses, o Instituto de Desenvolvimento de Gestão, Tecnologia e Pesquisa em Saúde e Assistência Social (IDGT) assume o atendimento e a prestação de serviços nos Prontos Atendimentos Municipais (PAs) e a Maternidade Dalila Ferreira Barbosa
A Inovação assumiu o serviço em março deste ano, inicialmente por meio de um contrato emergencial – por três meses. No entanto, a vigência do acordo foi prorrogada totalizando sete meses de serviço neste outubro. De acordo com informações da Prefeitura fornecidas ao vereador Sebastião Vieira de Lira (PSDC), o Paraíba Car, a empresa havia recebido cerca de R$ 17 milhões dos cofres municipais até o final de setembro. Nesse meio tempo, unidades administradas pela OS registraram diversos problemas como o fechamento do Pronto Atendimento Central por falta de médicos, situação que ocorreu em duas ocasiões entre os meses de julho e setembro. O caos gerado por esses episódios motivou a exoneração do então secretário de Saúde Messias Covre. Em Audiência Pública realizada no mês passado, na Câmara, a substituta de Covre na Pasta da Saúde, Carmen Pellegrino, ressaltou que a empresa ainda pode ser punida e que uma comissão em vigor vai apurar as responsabilidades.
No entanto, mesmo com a proximidade do desembarque da OS, a crise na área segue sendo alertada pelos vereadores. Nesta semana houve denúncias de atraso no pagamento dos funcionários da terceirizada. Paraíba Car, que já havia alertado para esta situação em Sessão ocorrida no dia 10 de outubro, voltou a abordar o problema na última quarta-feira (17). Ele comparou as organizações sociais que administram unidades de saúde no País a organizações criminosas e comemorou a saída da empresa Inovação do município. “Nada vai me intimidar ou impedir de denunciar as mazelas de Arujá”, disse.
Rogério Gonçalves Pereira (PSD), o Rogério da Padaria, Rafael dos Santos Laranjeira (PSB) e Edimar do Rosário (PRB), o Pastor Edimar de Jesus, também criticaram a situação da saúde no município.

Contrato com IDGT custará mais de R$ 27 milhões e terá validade de um ano
Atuando há 25 anos na área, o Instituto de Desenvolvimento de Gestão, Tecnologia e Pesquisa em Saúde e Assistência Social foi o vencedor do chamamento público promovido pela Secretaria de Saúde. O contrato com a atual organizaçõ terá validade de 12 meses prorrogáveis por igual período e um custo total de R$ 27.112.998,84.
Com o objetivo de tornar efetivos o cumprimento das ações e a fiscalização, o contrato com a organização social prevê a existência de um cogestor. A medida inédita, implantada pela Secretaria Municipal de Saúde, consiste na indicação de um profissional da Pasta para acompanhar e fiscalizar diariamente os serviços prestados à população.
“O cogestor é um novo ator nesse cenário. Ele estará nas unidades para acompanhar o desenvolvimento das ações, propiciando medidas para garantir execução contratual e assistência com qualidade aos munícipes. O serviço de saúde precisa de aprimoramento constante e é isso que estamos buscando”, afirma a secretária de Saúde, Carmen Pellegrino.
Outras informações sobre o instituto podem ser acessados no site: www.idgt.org.br

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.


FOTOS


Guia de Anunciantes