21/11/2017

Construcap/Copasa é o consórcio vencedor para realizar obra de duplicação da Mogi-Dutra

Foi publicado na edição de ontem (17) do Diário Oficial do Estado (DOE)  o nome do consórcio que fará a obra deduplicação do trecho entre Arujá e Mogi das Cruzes da Rodovia Mogi-Dutra (SP-88). O consórcio vencedor, de acordo com a publicação, é o Construcap/Copasa. 
As empresas apresentaram uma proposta de R$ 121.939.663,12 de custo para obra, valor bem aquém do estimado de início pelo Estado, cerca de R$ 180 milhões. O trecho a ser duplicado compreende entre a Rodovia Ayrton Senna (SP-70), no Taboão, e as proximidades da Presidente Dutra (BR-116), já em Arujá. A extensão é de pouco mais de sete quilômetros. Agora acontece a etapa final da licitação. Há um prazo de cinco dias para que empresas que participaram da disputa achem que há algum problema no processo. Caso não haja, o aval é dado para início das obras.
A obra teve intermediação direta do deputado estadual André do Prado que, desde 2014, ressalta ao Governo Paulista a importância da obra, sobretudo para o desenvolvimento econômico e melhoria na segurança aos usuários. Vale ressaltar que quinta-feira (16), o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), que vai financiar a duplicação da rodovia, havia confirmado a “não objeção” às intervenções, como lembra o deputado André do Prado. “É uma conquista que tem história. Participei de muitas reuniões no DER (Departamento de Estradas de Rodagem) e encontros com o governador Geraldo Alckmin para que este trecho que faltava da Mogi-Dutra pudesse ser duplicado. Ontem, nós tivemos o posicionamento favorável do BIRD divulgado e agora há esta boa notícia para o Alto Tietê. Sem dúvida, a indústria da região sairá ganhando porque a matéria-prima chegará com mais facilidade e haverá mais praticidade para escoar os itens produzidos pelas fábricas. Já os motoristas vão ter dispositivos de segurança e melhores condições de trafegar”, comentou.
A duplicação da Mogi-Dutra deverá beneficiar 500 mil habitantes no deslocamento diário. Por dia, a estrada é utilizada por cerca de 51 mil veículos. A modernização da via será executada entre os km 32 ao km 39,45 e terá a implantação de barreira de concreto, fato que viabilizará a segregação das pistas, a construção de viadutos para acesso e retorno, implantação de três passarelas, retificação da geometria de uma curva acentuada no km 36 e a revitalização completa da sinalização da pista.
A obra será financiada pelo BIRD, Agência Multilateral de Garantia de Investimentos e Banco Santander e faz parte do Programa de Transporte Logística e Meio Ambiente (da Secretaria de Estado de Logística e Transportes).

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.


FOTOS


Guia de Anunciantes