05/04/2016

Estudantes vivenciam Tribunal do Júri em simulado no curso de Direito

Professores do curso de Direito promoveram simulado de Tribunal do Júri em sala de aula para aproximar alunos da realidade e despertar neles ainda mais a paixão pela profissão

Estudantes do curso de Direito da Faculdade Unida de Suzano (Unisuz/Uniesp) se tornaram juízes, promotores, advogados e jurados, por uma noite, no 1º Simulado de Tribunal do Júri, realizado na instituição. A atividade, coordenada pelo professor e advogado Carlos Roberto Vissechi, procurou aproximar os estudantes ao máximo da realidade e despertar neles a paixão pelo Direito. Vissechi tem ampla experiência no meio jurídico: são 319 júris realizados em seus 29 anos de carreira, além da dedicação à docência no ensino superior. 

O advogado se uniu ao também professor Fabrício Tsutsui e, juntos, aprimoraram o modelo de um simulado que outro docente, Gabriel Bessagio, havia realizado no curso. Eles chegaram a um novo formato, aplicado na última semana, que envolveu os alunos do primeiro semestre, com auxílio de uma equipe de veteranos. Grupos foram divididos em várias funções como num júri de verdade e a eles coube desempenhar, em uma ampla sala de aula transformada em tribunal, todos os papéis de um julgamento. Os estudantes se basearam no “Caso dos exploradores de cavernas”, um clássico do Direito no mundo todo, com argumentações de promotoria e defesa dos réus, debates, votação dos jurados e conclusão com a sentença. A intenção, agora, é incorporar a atividade como prática pedagógica a cada novo semestre.

Para Vissechi, o novo formato deixou os alunos mais próximos da realidade para que eles se interessem pelo Direito desde o início do curso, que tende, em seus primeiros semestres, ter disciplinas consideradas mais duras e pesadas. "Queremos com essa atividade que eles se apaixonem pelo curso desde cedo. Gostei muito do desempenho. Estão no primeiro semestre, começaram o curso á dois meses e já participaram de uma atividade dessa grandeza e complexidade. Estão todos de parabéns. O tribunal do júri é o ápice da carreira de um advogado", argumentou.

Vissechi é professor de Direito Penal I na Unisuz, entre outras, e Fabricio Tsutsui é docente de Introdução ao Estudo de Direito. Tsutsui considerou o simulado um momento histórico para o curso de Direito da Unisuz, que, na região, tem o maior índice de aprovação na OAB.

 

"Caso dos exploradores de cavernas"

O simulado foi baseado na narrativa fictícia de “O caso dos exploradores de caverna (The case of the speluncean explorers), livro do autor Lon Fuller, publicado nos Estados Unidos em 1949 e no Brasil em 1976, que tem sido utilizado como obra introdutória nos cursos de Direito no mundo inteiro.

Cinco exploradores ficam presos por acidente em uma caverna e após 20 dias descobrem que vão ficar muito mais tempo confinados porque o resgate era difícil, tanto que dez operários já tinham morrido na tentativa de salvá-los.

Um dos exploradores dá a ideia de um do grupo ser morto para servir de alimento aos outros. Este, porém, desiste, acaba sendo considerado traidor do grupo e é morto pelos outros colegas. Os quatro sobreviventes vão a julgamento, que se transforma no embate entre correntes do Direito. No fim, são condenados à forca, na história do livro. No simulado da Unisuz, os alunos confirmaram a tese de homicídio e condenaram os réus à prisão.

Comente esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.


FOTOS


Guia de Anunciantes